domingo, 27 de março de 2011

nunca tão só

o sarcasmo saiu correndo de meus versos
e fiquei com a miséria, velha irmã.
como vai, querida?

terça-feira, 22 de março de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

negando "eu e minha poesia"

a não ser quando calha de uma gira vir.

eu e minha poesia

sem entregas, um pouco me debatendo sempre.

isso não é um cachimbo, definitivamente

ofereço-me um crisântemo
pra celebrar a crise.
que mais a fazer?

até logo, bonita

despachei a prosa dentro do
último trem com partida para
conchinchina

tímida & resignada
com os olhos baixos
não disse uma palavra

mandou um beijinho pela janela
pra coroar com flores
os momentos felizes

eu retribuí mas
só porque sou
um cara dos mais sujos

quinta-feira, 17 de março de 2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

isso aqui na mão eu uso pra sonhar

sobre um livro

quer-se

me apaixonar por você me faz parecer que pode acontecer alguma coisa na minha vida.
simplesmente um pode grandão.
as probabilidades.
certeiro o lúcio cardoso nessa. quem mais já disse isso?
sei lá.
sigamos.

quinta-feira, 10 de março de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011

as incongruências

a coisa mais sacana de fotografias é o seu potencial de eternizar um possivelmente passageiro momento que depois pode ser jogado na cara como cruz a carregar.

c'est la vie ou pra uma cena de filme, mas de uns três ou quatro jeitos

arremessar o cigarro pela janela e só imaginar onde ele vai parar

quinta-feira, 3 de março de 2011