terça-feira, 14 de junho de 2011

um cantar

estamos cercados.
meu bem, estamos fadados.
nosso amor é uma baleia
morta
na areia.

estamos quebrados.
meu bem, estamos acabados.
nosso amor é uma tigresa
morta
sobre a mesa.

estamos tombados.
meu bem, estamos dourados.
nosso amor é uma poesia
morta
todo dia.


(Nota: A primeira estrofe é uma poesia de Lucas Figueiró, com métrica e pontuações alteradas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário