domingo, 25 de dezembro de 2011

tolo império te fiz todo

tomo-me eu dado a besteiras
tolo por ti, ele, outro,
qualquer pequeno detalhe bobo eu bobo você,
abobando, tomo-me escrevo letras estrelas em papel de pão,
coração, escravo,
diz seu nome seu segredo, plaga,
não descubro, me esconde, minha pele furos e chagas,
e tudo brilha, ainda brilha, até que vem o dia

seguinte,

vagalume...
vaguinho...!
apaga de uma vez
de uma vez só e ninguém
ninguém mais vê
e nunca mais
nunca mais viu e só
isso aqui que ficou
e ficou só isso aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário