quinta-feira, 15 de novembro de 2012

terça-feira, 18 de setembro de 2012

hedônica perpétua ritmada

e sempre deveria haver um cara, branquelo, abaixo
do cacete de cada cara negro gozando no mundo

domingo, 19 de agosto de 2012

essa noite

quando eu quis recobrar
os desvarios de noites ontens

me veio à cabeça luzes e stares
de reluzes reis hoje magiares

Não que à auotoritaria de a
poesia
vá dizer rumos tais isso possa tomar

pois que somos elétricos e colamos
nas roupas velhas que tenhas nos
colares de sua avó

o lago afrente afronta ri
de seus sonhos de beleza para todos
e essa terra é de poucos, mas, diga

Não que a poesia
Vá pegar a culpa
Ou vergonha
Ou qualquer coisa cristã, no fundo
Disso

la poesie

ligar bêbado na madruga...
quem nunca?

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

domingo, 15 de julho de 2012

derrame

Quis escrever na minha pele
os versos que me rebentariam as carnes
e que fariam ver la verdad
de ossos e de rumos sem sinais
sem rimas e meus

passos fazem ressons em fundo de terra,
e tremor de terra
é meu calafrio, meu rodopio
de danças estelares

e chove novamente,
vejo uma estrela e eis ela
cadente,

e de meus poros jorrarão
cálidos mil
arcos-íris,
libélulas e reclames.

terça-feira, 19 de junho de 2012

cort vs morg


Eu queria dormir,
é o que eu mais gostaria de fazer,
que ela ficasse ali sentada lendo uma revista e eu
dormindo sem vê-la,
sem sabe que está aqui,

sentamos como cadeiras
em um ar que não perdoa
o que será dito ou não dito
de como eu onde

domingo, 6 de maio de 2012

quinta-feira, 26 de abril de 2012

reconhecimentos

e olho no espelho
e me vejo como eu e me reconheço,
atrás de mim, vejo desejo:
eu, no vir a ser,

aperto as mãos e me preparo
pronto para esmurrar
vida afora, vida agora,
vida sempre

segunda-feira, 9 de abril de 2012

terça-feira, 3 de abril de 2012

quinta-feira, 29 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

verdade

heroes do bowie
pela, sei lá, sétima vez seguida,
nunca é um bom sinal

quadrineiro

o balé
no peito
é essa coisa sem nome
ariscante e menina
trezeanos for life and for good

coroa na cabeça,
sorri
é tola
algo bela
e merece amor, muito amor,
porque morre como qualquer outra,

- adianta
esse esvoaçar
se sou de carne
e apodreço? -

imensa de vontade,
algo agressiva,
até ofende,

apieda da coitada,
deixa que com as pedras - haha - ela faça o castelinho
e, com as bonecas, suas filhas encantadas, ela cante histórias
e doces, até o fim dos tempos.

quarta-feira, 14 de março de 2012

segunda-feira, 12 de março de 2012

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

pala colaborativa

As Mari pira na escada...
As freira pira na virgindade
Os mano pira nas  morena lora lindona paixão
Os Lucas pira nas poesia do Beto

Ta publicado que emoção

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

menininha

humor, amor,
pinto seu nariz palhaço,

leva embora tempestade,
a cara amarrada
e os desencantos todos vazados

domingo, 8 de janeiro de 2012

cantinho de

/sem oco dizer
- gritar longe dizer -
toda coisa

bem é
marés afora
bem maior que vintém/

/eis que miro a dizer
giro, em transsignificá-lo

tesá-lo e encontrar diante
de tanta areia, diamante/

/enormes vagalumes eternos
gigantescos tomando os céus
retomo

giro viro atiro
cantigo
torrentes/

de cantinho

/meu eco dizer
- chegar perto dizer -
alguma coisa

é bem
cavernas adentro
perto de nenhuma/

/ao que viro a dizer
giro em insignificá-lo

macerá-lo e fazer areia
querendo, na real, diamante/

/meus brilhos pequenos,
meus mínimos brilhos,
minhas fomes fogos de artifícios,

giro viro atiro
calado
nenhumas/

sonhindo

never know the exact details
climb anything/everything

nunca saber os eventos detalhes
montar nenhumacoisa/todacoisa

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012