terça-feira, 18 de setembro de 2012

hedônica perpétua ritmada

e sempre deveria haver um cara, branquelo, abaixo
do cacete de cada cara negro gozando no mundo