quinta-feira, 21 de novembro de 2013

sustenido de um pégaso

cristais vermelhos radiantes
em uma coroa doirada que concederia
o poder de alguma habilidade

que pro mundo, hoje, é inútil,
as asas do rapaz quebrando
desvios de frestas

socorram o segredo
a noite dança a louca dança
ninguém escuta nada com essa balbúrdia toda

sinceros os segredos do rapaz
e sua faca prateada com
gume doirado e antigo

deixo que a peça que sobre
de um quebra-cabeça exploda-me-em
desencaixe assim

guisado de desejos das corujas
e dos sapos
coaxam longe ninguém escuta é tanto som

e ao entrar na sala
haverá um espelho
que você não verá

Nenhum comentário:

Postar um comentário