segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

as mãos abertas

é manhã, é tarde, é noite,
pensando em você
que me vem como um sonho ruim que assusta
e que ao mesmo tempo acalenta e amortece
as pancadas todas que eles têm me dado

mina de ouro veludo,
você me derrama feito a chuva,
e eu fico nova & pronta.

minha cesta cheia de amoras,
para que sofrer?
minha cesta cheia de amores,
brincando no mar e na areia

e então, faz tempo,
cada vez que acordo,
seja manhã, tarde, noite,
parece que estou mais distante.

terei que atravessar terras arrasadas
para encontrar
mais terras arrasadas

e eles não param de bater na porta
e a porta na minha cara
e também as mãos abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário