terça-feira, 16 de junho de 2015

sábado, 13 de junho de 2015

você soube fazer uma pergunta adequada. ou seja, uma que não me explorasse diretamente, mas que inquirisse. eu não esperava, e gostei da surpresa. parabéns.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

aquela
pontadinha
abaixo dos pulmões
de quando você envia um recado,
de quando você diz algo,
e tem que esperar a resposta.

os joelhos doendo
ajoelhados
a esperar a resposta.

o olho nem pisca
estatelado
a esperar a resposta.


quinta-feira, 11 de junho de 2015

fale
até tudo fazer sentido
(ou tudo perder o sentido)
(ou o sentido se fechar em fios
que vão formar uma flor)

dance
até tudo fazer sentido
(ou tudo perder o sentido)
(ou o sentido se fechar em fios
que vão formar uma flor)

deixe fluir toda a insegurança, a inconstância, a carência, o desejo, a confusão, a bagunça, o desespero calado, o desencontro, a demolição,
até dar pra fazer casa nova dos caquinhos
juntar vidrinhos num mosaico
girassóis plantados no jardim da frente

é algo que não consigo evitar
essas imagens que vem a medida que tento falar
não que isso seja falar
mas é algo que não consigo evitar

exponha a banalidade, a genialidade, ambas, ou nenhuma das duas,
exponha recortes, retalhos, esperanças, pedaços de carne,
abrace uma explosão
só pra sentir o corpo em chamas
no sacrifício

minta convulsivamente
escreva como se condenado
porque você está, todos estão.

esses registros são só
bibelôs

a fé de transformar alguma coisa em ouro
no final, não haverá respiração

exceto que haverá
sleep deprivation
um eu só

quarta-feira, 10 de junho de 2015

sexta-feira, 5 de junho de 2015

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Os  pés  que  saboreiam  o  chão [...]  Para  Natsu, tratava-se  de  deslizar  o  pé  pelo  chão  docemente,  como  se  tateando  e saboreando o chão e suas nuanças” (BURNIER, 2001, p.148-149 – grifos do autor)


in http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6099
pg 132

butoh

“jo: a fase do começo, quando a força  se  põe  em  funcionamento  como  se  vencesse  uma  resistência; ha: a  fase  de  transição, ruptura da resistência, desenvolvimento do movimento; kyu: a fase da rapidez, do crescer sem freios até a parada imprevista” (BARBA apud BURNIER, 2001, p. 149) e o ma “é a ação na imobilidade, uma pausa suspensa  no espaço, mas  que continua  no tempo [...] A  imobilidade móvel  abre  campo  para  a  noção  de  vibração,  pois  de  fora  não  existe  movimento,  mas interiormente  existe  algo  que  vibra”  (BURNIER,  2001,  p.  149)

in http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6099
pg 131

terça-feira, 2 de junho de 2015

palavrinha do dia #121

encarquilhamento

mais um joguinho

lumiares
limiares

semânticas #3223

"A  palavra  laboratório deriva  de labor, trabalho, fazer e atório, oração, recuperação. Laboratório pode ser um seting, onde se experimentam reações e pode ser também, no caso do teatro, um lugar para orar com o corpo. Lócus de religare, onde o treinamento corporal é um ritual numa prática cotidiana."

in http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6099
pg 61

segunda-feira, 1 de junho de 2015

ref. de petit jouet #1990

"Em primeiro lugar, assinalemos que uma desordem estática é imaginada como um conjunto agitado: as estrelas são tantas que parecem, nas belas noites de verão formigar. A multiplicidade é agitação. Não há, na literatura, um único caos imóvel. Quando muito, se encontra [...] um caos imobilizado, um caos petrificado. E não é sem razão que nos livros do século XVIII e dos séculos anteriores vê-se a palavra chaos ortografada cahots [solavancos]. Mais eis o paradoxo recíproco. Basta olhar – ou imaginar – um conjunto de corpos que se agitam em todos os sentidos para que se lhe atribua um número que ultrapassa em muito a realidade: a agitação é multiplicitade"

Gaston Bachellard, citado em
http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6099
pg 49
"kháos – matéria – matter – materna – grande mãe – geia – gaia – terra – tártaro – abismo – eros – erótico  - potência de vida – pensamento - cosmogonia"

in http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6099
pg 49

petit jouet #1990

chaos
cahots