quinta-feira, 21 de abril de 2016

benjamin in dawsey

"Benjamin (1985f:103) evoca a figura do "catador de lixo":
Temos aqui um homem: ele tem de catar pela capital os restos do dia que passou. Tudo o que a grande cidade jogou fora, tudo o que ela perdeu, tudo o que desprezou, tudo o que ela espezinhou — ele registra e coleciona. Coleta e coleciona os anais da desordem, a Cafarnaum da devassidão; separa e seleciona as coisas, fazendo uma seleção inteligente; procede como um avarento em relação a um tesouro, aferrando-se ao entulho que, nas maxilas da deusa da indústria, assumirá a forma de objetos úteis ou agradáveis.
Resíduos revelam uma história do esquecimento. O catador dos "restos do dia que passou" é capaz de fazer despertar a própria memória involuntária da cidade. Seu segredo? A cumplicidade com os objetos por ele colecionados — na iminência das "maxilas da deusa da indústria". Resíduos despertam esperanças adormecidas. Também são instrutivos. Diante das ruínas do passado e de suas histórias monumentais, descobre-se que nem mesmo deusas tão poderosas como esta são eternas. Suas maxilas também podem ser despedaçadas."


http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132009000200002#nt14

Nenhum comentário:

Postar um comentário