terça-feira, 5 de julho de 2016

Verso versas versifico esconjuro benzo mandingo

I want to break free no banheiro

I want

I want

I want to break free no banheiro

(como numa banda no banheiro)

Relentável

Relentantemente
Intutemente
Emergente, eis como te quero

Drawing constelations with the tip of your finger

Do they
Collide I ask and you
Smile

Símiles bélicos, súmulas anímicas,
Anímicas e anêmicas, tropeços de nada e pó,
Súmulas tépidas, tétricas, tréplicas,
Súmulas varonis garbosas pintosas

Na casa dos vinte
Adotamos aos trinta
Sei lá
Pode ser

Aboliremos acordos ortotodos, ser queerdoxo, 
Amanhecer dos retintos retornos dos
Laranja e azul mais intensos, mais intensos,
Mais breve e intensos laranja e azul

Obrigado
Por sempre vir e acontecer
Em minha cabeça tal qual divindade
Que imbrota, que desdita elatoda, quantas são as
Mãos , todos. Queda,

Quantas são as mãos e todos assim ainda em queda, obrigado,
Pelo bote, fricote, chilique, atropelo, tal
Manada de elefantes savana adentro & selvagem
Das frutas maduras de lá, numa foto em preto-e-branco, e

Duplas são as cores, as ondas, os nomes também duplos com
A natureza intrincada de seus mistérios e a obviedade tátil de seus referentes,
Trincos que vemos em reflexos de vidro fagulhas de multi
Verso versas versifico esconjuro benzo mandingo

Você é sagrado,
E você que manteve o próprio nome, se insinua ainda que duplo,
Ainda que praia, ainda que maré, ainda que devir,
Fenômeno e está e toca

Nenhum comentário:

Postar um comentário