sexta-feira, 3 de março de 2017

da lama surge

de vez em quando eu penso assim
valoriza a ti, que o mundo não te
merece, mentira, eu nunca
penso assim, eu direto tô pensando
que eu que mereço pouco poquim
sendo que na vera é um excesso de luz
que sai de mim pro mundo e eu poderia
cegar fulanim cicraninha e etc e tal e,
assim, às vez alguém até reconhece,
e reconhecer é um joguinho dos mais
complexos, é preciso engate
é preciso encaixe
é preciso caixas matrioshkas
é preciso segredos de pé de ouvido
é preciso rasgar mapas,
a gente se deixa levar, se deixa ir,
vai parar num apê lá,
numa casa lá,
num rolê lá,
anda pela rua de um canto ao outro
em busca em busca em busca, uma quest,
há anos anos anos eu tinha outros anos
eu era outra pessoa
eu tinha em mim essa pessoa que agora
é essa voz que fala que se faz dizer que se
coloca que se firma que se desentende
consigo mesma?, eu era essa voz?
eu sei que há anos há anos há anos
eu era outrem e assim eu sentia
e parecia que outréns também
e tudo era mais promessa
e eu me pergunto
assim
é só amargor que vem?
de um tempo que já passou?
me pergunto
assim
é só?
eu digo não

Nenhum comentário:

Postar um comentário